Um corpo que experimenta e avalia: a ética em Deleuze à luz da "Grande Identidade" Spinoza-Nietzsche

Mariana de Toledo Barbosa

Resumo


A ética é um tema constante na obra de Gilles Deleuze, ainda que aparentemente não figure como assunto principal de nenhum de seus livros. Isso se explica, pois, para ele, a filosofia prática, formada pela ética e pela política, é coextensiva a toda a filosofia. Por um lado, não há um aspecto puramente teórico ou especulativo da filosofia; por outro lado, a ética não é uma dentre outras disciplinas filosóficas, mas a sua dimensão prática e sempre presente, não havendo qualquer motivo para que seja tratada em separado. Sendo assim, abordar a ética em Deleuze exige percorrer todos os seus escritos e escolher uma chave de leitura. Aqui, pretende-se explorar como Deleuze lança as bases para a sua própria concepção de ética a partir da grande identidade Spinoza-Nietzsche produzida por ele. Propõe-se uma fórmula para a ética em Deleuze: um corpo que experimenta e avalia. Desta fórmula, destaca-se o primeiro eixo a ser trabalhado: a ética deleuziana como ética do corpo. O segundo eixo é a importante oposição entre ética e moral. O terceiro, a relação entre ética e ontologia. E o quarto e último eixo, a formação ética como aprendizado contínuo.

Texto completo:

PDF

Referências


Referências bibliográficas

BARBOSA, M. T. (2012) “A ética em Deleuze: um corpo que avalia e experimenta”. Tese de doutorado. Universidade Federal do Rio de Janeiro/Université Paris Nanterre (co-tutela).

DELEUZE, G. (1962) “Nietzsche et la philosophie”. Paris: PUF, 2005.

__________. (1965) “Nietzsche”. Paris: PUF, 2007.

__________. (1968a) “Différence et répétition”. Paris: PUF, 2005.

__________. (1968b) “Spinoza et le problème de l’expression”. Paris: Minuit, 2005.

__________. (1981a) “Spinoza philosophie pratique”. Paris: Minuit, 2006.

__________. (1990) “Pourparlers”. Paris: Minuit, 2007.

__________. (1993) “Critique et clinique”. Paris: Minuit, 2006.

DELEUZE, G. & GUATTARI, F. (1980) “Mille Plateaux”. Paris: Minuit, 2006.

DELEUZE, G. & PARNET, C. (1977) “Dialogues”. Paris: Flammarion, 2007.

NIETZSCHE, F. (1887) “A genealogia da moral”. São Paulo: Companhia das Letras, 2009.

SPINOZA, B. (1677) “Ética”. São Paulo: EdUSP, 2015.

ZAOUÏ, P. “La ‘grande identité’ Nietzsche-Spinoza: quelle identité?” In: Philosophie. N⁰ 47. Paris: Minuit, 1995.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.