A TEORIA DO SIGNIFICADO DE JAKOB VON UEXKÜLL COMO UM CASO DE TRADUÇÃO RADICAL

Arthur Araujo

Resumo


No segundo capítulo de Word and Object, Quine procura mostrar o quanto da linguagem pode ser esclarecida em termos estimulantes, bem como a limitação da tradução a partir de diferentes esquemas conceituais. O autor apresenta a tese de indeterminação da tradução por meio de uma situação de tradução radical. O objetivo deste artigo é apresentar de que modo Quine desenvolve a tradução radical e destacar os conceitos de informações colaterais, significado estimulativo e esquema conceitual. Em seguida, procuraremos mostrar que a teoria do significado de Jakob von Uexküll é um caso exemplar da tese de indeterminação da tradução: os processos de significação entre diferentes organismos vivos correspondem a um processo de tradução radical que se depara com dificuldades semelhantes àquelas que levam à indeterminação da tradução segundo Quine.


Texto completo:

PDF

Referências


James, William. Pragmatism and other writings. New York: Penguin Books, 2000.

Johnson, Mark. The Body in the Mind. Chicago: The University of Chicago Press, 1990.

Maturana, Humberto (et al.): What the frog’s eye tells to the frog’s brain. Reprinted from: The Mind: Biological Approaches to its Functions. Editors: William C. Corning, Martin Balaban, 1968, pp 233-258.

Nagel, Thomas. What is it like to be a bat ? The Philosophical Review 82, 1974, pp. 435-450.

Quine, Willard van Orman. De um ponto de vista lógico. São Paulo: Editora Unesp, 2011.

______________________. Word and Object. Cambridge: The MIT Press, 1960.

Ryle, Gilbert. Teoria do Significação. Tradução de Oswaldo Porchar de Assis Pereira da Silva. São Paulo: Abril Cultural, 1975.

Sharov, Alexis. Umwelt theory and pragmatism. In: Semiotica, Toronto: De Gruyter Mouton, v. 134, 2001, pp. 211-228.

Wittgenstein, Ludwig. Philosophical Investigations. Translated by G. E. M. Anscombe. Oxford (UK): Basil Blackwel, 1958.

UEXKULL, von Jakob. Theoretical Biology. New York: Harcourt, Brace & Company, 1926.

_________________. A stroll thoough the worlds of animals and men. In: Instinctive Behavior. Claire H. Schiller (Ed.). New York: Intenational University Press, 1957.

________________. Dos animais e dos homens. Trad. de Alberto Candeias e Aníbal Garcia Pereira. Lisboa: Livros do Brasil, 1982.

________________. The Theory of Meaning. Semiotica, Copenhagen. 42-1 (1982), pp. 25-82.

UEXKULL, von Thure. A teoria da Umwelt de Jakob von Uexüll. Revista Galáxia, São Paulo, n.7, abril – 2004, pp. 19-48.

Whitehead, Alfred N. Science and the modern world. New York, Pelican Mentor Books, 1948.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.